Menu

Dieta da felicidade

13 de fevereiro de 2018 - Sem categoria
Dieta da felicidade

Quem nunca experimentou uma sensação de felicidade ao provar seu prato favorito ou uma receita deliciosa? Dá água na boca só de lembrar, não é? Pois saiba que o bom humor decorrente da alimentação não está restrito ao sabor da comida. Há substâncias com propriedades capazes de provocar a sensação de bem-estar, bom humor e tranquilidade.

A comprovação está em uma pesquisa  das universidades  de Warwick, no Reino Unido, e Queensland, na Austrália, por exemplo. Elas analisaram o comportamento de mais de 12 mil pessoas em sete anos e chegaram à conclusão de que uma dieta rica em frutas, vitaminas e vegetais melhora o humor das pessoas. Ainda de acordo com a pesquisa, uma das hipóteses para que isso ocorra é a quantidade de antioxidantes encontrada nesses alimentos. A substância está ligada diretamente ao otimismo e à alegria.

A banana, rica em triptofano, faz parte da dieta da felicidade

O que comer?

“As substâncias que estão associadas à sensação de bem-estar são serotonina, dopamina e noradrenalina. A produção de serotonina depende da ingestão de alimentos ricos em triptofano e de carboidratos, já a dopamina e noradrenalina são auxiliadas pela tirosina, outro aminoácido”, explica o nutricionista Henrique Carreira.

Para não haver dúvidas, ele lista alguns dos componentes da dieta da felicidade:

Na luta contra o mau humor, não existem vilões. “Não vejo um alimento de que se deva passar longe. As pessoas devem procurar uma alimentação equilibrada, respeitando suas vontades de forma consciente”, afirma o nutricionista.

Entretanto, é bom evitar o consumo elevado de gorduras, pois, além de serem responsáveis por parte do excesso de peso, em alguns casos, retardam a digestão e afetam o nível de transmissão neurológica, alterando o humor de forma ruim.

Alegria em movimento

Além do cuidado com os nutrientes, Henrique reforça a importância de manter-se ativo. “Durante a atividade física liberamos endorfina, que é uma forte aliada no tratamento de depressão”, complementa. Assim, a prática ajuda a melhorar diretamente o condicionamento físico e, ainda, aumenta o bom humor e a sociabilidade, reduzindo também a ansiedade e a tensão.

Outro movimento importante está dentro do próprio corpo. Uma boa flora intestinal (equilíbrio de bactérias no intestino) está associada ao combate de sintomas de nervosismo e estresse, por exemplo. Assim como o cérebro, o intestino também reúne milhares de neurônios, com alta produção de serotonina – a mesma que citamos no começo do texto, uma das responsáveis pelo nosso estado de bem-estar. Por isso, consumir produtos probióticos (que contêm bactérias e leveduras vivas), como iogurtes e leites, também é uma forcinha a mais na busca por mais saúde e, claro, por uma vida mais leve!